27 de ago de 2008

Mãe desnecessária


"A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase e ela sempre me soou estranha. Até agora. Agora que minha filha adolescente, aos quase 18 anos, começa a dar vôos-solo. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isso. Ser 'desnecessária' é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo.O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis. Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser 'desnecessários', nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar."Márcia Neder

24 de ago de 2008

Acróstico

Queres desafios?

Gostas de viver cantando!
Impossível não apreciar,
Assim vais ambicionando,
Nasceste para criar,
Amanhã irás ninar!

21 de ago de 2008

Rimas

Riminhas para sorrir!

Cansei,
Cansada fiquei,
Do cansaço dessa trela!
Vira a mesa,
Muda a vela,
Que a vida é bela! By JC

19 de ago de 2008

Para a Tita


A Tita mais uma vez está nos dando uma alegria por ter sido aprovada no vestibular do recém criado Curso de Dança na UFPeL. Ela já cursou Dança Flamenca durante algum tempo, com muita graça! Quando foi anunciado este novo curso, resolveu tentar. E aí está, conseguiu. Além de Arquiteta será também graduada em Dança. É a melhor forma de expressão corporal para esta filhota tão meiga e sensível.
Lendo Marta Medeiros sempre consigo tirar algum proveito das suas palavras para passar uma mensagem e esta é para a Tita
“... ao nascer, recebemos mais ou menos o mesmo dote: uma família, algum amor e alguns ensinamentos. Para quem é um pouco preguiçoso ou carente de imaginação, isso basta como baliza. Irá se satisfazer com o que foi recebido e contar sempre a mesma história sobre si mesmo. Mas há os desassossegados de nascença: louvados sejam. Para esses, a vida é um livro em branco, uma oportunidade desafiadora de criar o seu próprio personagem e enriquecê-lo com experiências, desejos, erros, acertos, alegrias, tristezas. Qual é o maior presente que nossos pais podem nos dar, além de algum amor e algum ensinamento? É justamente essa fagulha acesa no olhar, esse espírito aberto, o empurrão para ir além do “prefácio” e buscar a construção de si próprio visitando outras galáxias – que nada mais são do que outras pessoas e vivências. É através dessa matéria-prima que iremos estabelecer o fio da nossa narrativa, é que permitiremos que os outros nos conheçam – e que a gente se auto-conheça mais um pouco também, através do olhar de fora. É uma vida inventada? No melhor sentido. É uma vida que se atreveu a ir além dos 10 mandamentos iniciais. É uma vida regida por outros tantos: não julgarás os diferentes de ti, não criticarás o próximo sem antes ouvir suas razões, não te contentarás com o que aprendestes em casa, não evitarás estradas só por não saber onde elas levam, não abdicarás de conhecer mais a ti mesmo, não censurarás aquilo que não compreendes, não te acorrentarás ao que te dá segurança, não te conformarás com tua ignorância, não temerás a amplificação do teu universo". Parabéns, querida!

16 de ago de 2008

Leituras

Acabei de ler o livro "Uma ponte para Terebin", da escritora gaúcha Letícia Wierzchowski.
Muito bom! Recomendo! Para quem gosta de história de antepassados, narrada na época da segunda grande guerra é envolvente. Leitura que faz com que o leitor, entre tantas histórias dessa época mergulhe nas entrelinhas dessa comovente narrativa da escritora. Ela conta a trajetória de um imigrante polonês que vem tentar a vida no Brasil, mais especificamente em Porto Alegre no Rio Grande do Sul. Com o desenrolar da segunda guerra, mais precisamente com a invasão da Polônia onde ficaram seus parentes ele volta para lutar pela sua pátria. Foi interessante o sentimento despertado enquanto lia o livro e ouvia o noticiário da atual disputa por territórios entre a Geórgia e a Rússia com as cenas chocantes de civis sendo massacrados. Por quê? Não bastam todas as guerras existentes? Até quando os povos serão massacrados? By JC

14 de ago de 2008

Poeminha Amoroso

Este é um poema de amor tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos de luta e de brisa e de céu...
E eu, quero te servir a poesia numa concha azul do mar ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer, não importa.
Já está declarado e estampado nas linhas e entrelinhas deste pequeno poema, o verso;
o tão famoso e inesperado verso que te deixará pasmo, surpreso, perplexo...
eu te amo, perdoa-me, eu te amo... Cora Coralina

11 de ago de 2008

Para Pensar

Existe apenas uma idade para sermos felizes, apenas uma epoca da vida de cada pessoa em que é possível sonhar, fazer planos e ter energia suficiente para os realizar apesar de todas as dificuldades e todos os obstáculos. Uma só idade para nos encantarmos com a vida para vivermos apaixonadamente e aproveitarmos tudo com toda a intensidade, sem medo nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que podemos criar e recriar a vida à nossa propria imagem e semelhança, vestirmo-nos de todas as cores, experimentar todos os sabores e entregarmo-nos a todos os amores sem preconceitos nem pudor. Tempo de entusiasmo e coragem em que toda a disposição de tentar algo de novo e de novo quantas vezes for preciso. Essa idade tão fugaz na nossa vida chama-se presente e tem a duração do instante que passa.

Mario Quintana

10 de ago de 2008

Capa de caderno


A Tita pediu e aí está! Capa para caderno com motivo em Patchwork. Ainda sei fazer!

9 de ago de 2008

Se as águas do mar da vida quiserem te afogar.
Segura na mão de Deus e vai
Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar.
Segura na mão de Deus e vai
Segura na mão de Deus, pois ela te sustentará.
Não temas segue adiante e não olhes para trás.
Segura na mão de Deus e vai.
Se a jornada é pesada e te cansas da caminhada.
Segura na mão de Deus e vai
Orando, jejuando, confiando e confessando.
Segura na mão de Deus e vai.
O Espírito do Senhor sempre te revestirá.
Segura na mão de Deus e vai
Jesus Cristo prometeu que jamais te deixará.
Segura na mão de Deus e vai

3 de ago de 2008

Caminhos e escolhas


Hoje resta para ela, olhar ao longe e imaginar como eles estarão. O olhar dela perde-se no horizonte e aquela dor permanece. Como gostaria de uma palavra carinhosa, um abraço afetuoso, um sorriso, a compreensão pela atitude tomada, o perdão! O tempo passa e parece que o que resta são as dores carregadas durante toda a vida. Diante de todos, o sorriso e a alegria, constante em seu semblante, permanecem. Nunca se ouviu dela uma queixa, uma lamúria. Assim ela vai levando a vida que lhe resta. Agora ela se dedica a cuidar das plantas ao mesmo tempo que transfere todo o seu amor e carinho para os cachorros que andam à sua volta seguindo-a aonde ela vai. Até quando? By JC